• Eduardo G

Mão obra operacional para evento - Agência Especializada

Seguindo a nova tendência mundial de gestão de mão-de-obra, os empresários investiram na contratação de profissionais temporários, com o objetivo de reduzir custos e entrar no mercado mundial de forma competitiva, inicialmente priorizando a qualidade do serviço e/ou produto, sem prejudicar as relações de trabalho. O trabalho temporário passa a ser um instrumento econômico facilitador da gestão empresarial que pode afetar a competitividade das organizações. Um fenômeno típico da sociedade industrial, do crescimento econômico e das próprias variações de um mundo em constantes transformações. A empresa moderna concentra-se nas atividades e operações que realmente tragam vantagens competitivas, ou seja, dedica-se a um número menor de atividades, busca reduzir o número de processos e estruturas administrativas e transferir as atividades não fundamentais para outras organizações. O trabalho temporário, para muitos, pode ser uma boa opção de atividade, considerando a baixa oferta de oportunidades para profissionais de menor qualificação, mas também para pessoas que já alcançaram um grau de capacitação maior. Há tempos, o trabalho temporário foi uma opção para aqueles que, enquanto esperavam por um trabalho efetivo, trabalhavam em uma atividade temporária obtendo renda. Contudo, no atual cenário de elevados índices de desemprego no país, o trabalho temporário em muitos casos tornou-se uma “profissão”, na qual o trabalhador temporário capacita-se para atender a crescente procura. As organizações beneficiam-se com as facilidades que as contratações de trabalho temporário oferecem. É uma maneira prática de substituir temporariamente o quadro efetivo, administrar e gerenciar a crescente ou decrescente demanda de serviços e manter a flexibilidade no tempo de contratação de funcionários.